Carripana

Apresentações públicas

2023

27 janeiro, 16h (famílias) | Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida (Montijo)

25 março, 10h30 | Mercado de Moncarapacho (Olhão)

25 março, 17h | Largo do Museu de Olhão

25 março, 21h30 | Largo da Igreja de Pechão (Olhão)

26 março, 16h | Chasfa (Quelfes / Olhão)

26 março, 18h | Largo da República na Fuzeta (Olhão)

20 abril, 10h | Escola Secundária de Sampaio (Sesimbra)

30 setembro, 11h | Largo de São Francisco (Loulé)

“Carripana” [teatro/dança] é um projecto vagabundo, itinerante, mas de um grande rigor estético. A sua acção decorre numa carrinha Citroën Berlingo, ligeira de mercadorias, onde toda a caixa traseira está cenografada e quando se abrem as portas é dado início à ilusão teatral.

O ponto de partida desta obra são três palavras que têm ligação umbilical com o universo algarvio: vento, chapéus e marés.

Os criadores, João de Brito e Manuela Pedroso, basearam-se nestas três palavras, para efectuar a sua pesquisa e chegaram, assim, aos seguintes livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura para o pré-escolar: “Este chapéu não é meu”, “Quero o meu chapéu”, “Achámos Um chapéu”, de Jon Klassen; “O chapeleiro e o vento”, de Catarina Sobral; “Onda”, de Suzy Lee; “Os bolsos da Marta”, de Quentin Blake; “Presos”, de Oliver Jeffers; “A grande viagem do pequeno Mi”, de Samuel William Junqueira e Rachel Caiano.

No espectáculo “Carripana” é usada uma linguagem física e onomatopaica, surgindo apenas duas palavras: “Citroën”, uma francesa interpretada por Manuela Pedroso e “Berlingo”, um italiano, interpretado por João de Brito.

O cerne da acção teatral é a tentativa de executar um número performativo (uma dança), que mistura o universo sonhador da caixinha de música e a sensibilidade do tango.

Embora o espectáculo “Carripana” tenha sido, originalmente, concebido para um público em idade pré-escolar, o seu carácter eclético adequa-se a qualquer faixa etária, nacionalidade e espaço de apresentação não convencional.

“Carripana” é um espectáculo realizado em co-produção com o São Luíz Teatro Municipal e financiado pelo Turismo de Portugal / 365 Algarve.

Sinopse

Um homem e uma mulher percorrem o mundo a dançar tendo como palco a sua carrinha “Berlingo”. A dança só se instala quando as suas vontades se juntam, o que nem sempre acontece. O que atrapalha a harmonia entre estes “saltimdanços”? Que tropelias se cruzam na sua procura de encontro? Como atravessam impossíveis para chegar ao universo que os une?

Criação, encenação | João de Brito e Manuela Pedroso
Interpretação | João de Brito/João Dantas e Manuela Pedroso
Consultoria | Catarina Requeijo
Cenografia | Fernando Ribeiro
Música | Teresa Gentil
Caricaturas | Wagner Borges
Imagens promocionais | Sofia Marques Ferreira
Vídeo promocional |Miguel Leão
Apoio logístico | Fórum Dança, Academia das Artes de Lisboa, Largo Residências
Apoio | Frame Colectivo
Direcção de produção | Sandro Benrós
Produção | Giulia Dal Piaz e Rita Rosado
Co-produção | LAMA Teatro e São Luiz Teatro Municipal
Projecto financiando por | Turismo de Portugal / 365Algarve

Apoio institucional | Município de Faro

Estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura | DGARTES – Direção-Geral das Artes

Duração | 35 minutos

Classificação etária | M/3

Relacionados

Uma casa de bonecas

De Henrik Ibsen

Frigorífico (Monitor Top)

De Ana Rostron e João de Brito

À babuja

De João de Brito

Contact
©2020 LAMA Teatro
Estrutura financiada
Contact