Romeu & Julieta

Teatro Praga

4 novembro, 14h30 (escolas) + 19h | Teatro das Figuras

M/6
Duração | 60 min
Bilhete | 6 euros

Partindo de William Shakespeare, Cláudia Jardim e Diogo Bento andarão à volta de ROMEU & JULIETA, a clássica história de amor que põe no centro da ação dois teenagers apaixonados em rota de colisão com as suas famílias e com uma sociedade repressora. Num ambiente divertido de uma cozinha em palco, os atores guiam os jovens espectadores participantes pela história de um amor maldito, misturando-a com a confeção de um delicioso cheesecake que leva o nome das personagens shakespeareanas. Esta história, ainda que com uma linguagem adaptada, é a tragédia originalmente escrita no Século XVI, ora trágica ora cómica, que será contada de forma lúdica, através dos ingredientes e dos passos da receita do bolo. Neste ROMEU & JULIETA o drama confunde- se com o queijo ricota, o sangue dos amantes é doce de goiaba, as lutas de espadas fazem-se com espátulas e caçarolas, e uma dentada numa bolacha Maria pode ser uma alternativa deliciosa para um coração partido.

Texto e criação | Cláudia Jardim, Diogo Bento e Pedro Penim
Interpretação | Cláudia Jardim e Diogo Bento
Direcção de produção | Daniela Ribeiro
Produção | Alexandra Baião
Co-produção | Teatro Praga, Maria Matos Teatro Municipal, Teatro Municipal do Porto, Teatro Viriato e Centro de Artes de Ovar
Fotografia | Bernardo Gramaxo

Spin & Shot

Grupo de Leitores

6 novembro, 15h + 21h | IPDJ

M/6
Duração | 30 min (aprox.)
Bilhete | 4 euros

Inserido no ESTOJO – Laboratório Pedagógico do LAMA Teatro

Sobre rituais mundanos e quotidianos que a/fundam relacionamentos. O que é que a maioria das pessoas (não) fazem? Parar, olhar, avançar. Jogar com a poesia e comunicar como uma rotunda. Dos adolescentes, para todos os que sentem. À vida, aos amores e às divergências.

Direção e dramaturgia | Erica Viegas e Manuel Neiva
Criação e interpretação | Beatriz Rêgo, Henrique Manso, Jamila Mendes, Jonas Ajami, Margarida Nair
Provocações e aconselhamento artístico | João de Brito
Produção | Grupo de Leitores e LAMA Teatro

Loop

Panápaná

7 novembro, 15h (escolas) + 21h | IPDJ

M/6
Duração | 45 min (aprox.)
Bilhete | 4 euros

Inserido no ESTOJO – Laboratório Pedagógico do LAMA Teatro

Desde o nascimento somos condicionados por fatores externos que nos encaminham a vida, ações e reações, tudo alheio às nossas vontades, que por si só também crescem condicionadas por esses mesmos fatores. Mas se nos revoltarmos contra o suposto? Contra o comum? Contra o condicionado? Pode a vida seguir caminhos diferentes, livrar-se de uma rotina pré-estabelecida? Ou de uma maneira ou de outra, o condicionamento vai sempre existir porque no fundo, a vida não pode existir sem regras?

Coordenação | Carol Teixeira, Diego Medeiros e Raquel Ançã
Encenação | Neise Encarnação e Noah Duro
Assistência de Encenação | Alice Velez
Interpretação | Eva Reis-Pinto, Joana Brás, Joana Lourenço, Lia Silva, Madalena Ferreira, Maria Fernandes, Mariana Ferreira, Miguel Domingos, Neise Encarnação
Provocações e aconselhamento artístico | João de Brito
Som e Luz: | Noah Duro
Figurinos e adereços | Diego Medeiros e Raquel Ançã
Cenografia | Noah Duro e Tó Quintas
Execução de Figurinos | Lígia Faria
Produção | Grupo de Leitores e LAMA Teatro

Memórias de Bambaram

Teatro Improviso de Intervenção

12 novembro, 15h (escolas) + 21h | IPDJ

M/6
Duração | 30 min (aprox.)
Bilhete | 4 euros

Inserido no ESTOJO – Laboratório Pedagógico do LAMA Teatro

As estórias que se contam e que se escutam preservam memórias, que são fontes de conhecimento e criam a própria história. Quatro jovens mulheres de diferentes países, etnias e nacionalidades recriam um espaço de partilha de memórias ancestrais, que lhes foram contadas e, outras, vividas por elas, desde os tempos de Bambara. Há estórias que nos fazem rir, outras, quase chorar. Há estórias que nos fazem, simplesmente, pensar e outras que nos transportam para as nossas próprias memórias, numa viagem em que o retorno se desloca sempre do ponto de partida e os sonhos se cruzam com múltiplas realidades.

Texto | Criação Coletiva
Encenação | Teresa Coutinho e Teresa Henriques
Interpretação | Ludimila Andrete, Manuela Trigo, Karina Frechauth, Vanessa Farhart
Provocações e aconselhamento artístico | João de Brito
Adereços de cena/panos | Inayá Pereira
Montagem e design fotográfico | Margarida Morais
Produção | Grupo de Leitores e LAMA Teatro

Gang das Mochilas

Performance pelo LAMA Teatro

4, 5, 11, 12 e 13 novembro | Centro histórico de Faro, baixa de Faro, zona ribeirinha de Faro, escolas de município de Faro

Coordenação | João de Brito, Sara Martins e Marta Gorgulho
Interpretação | Alunos do Curso Profissional de Artes do Espectáculo da Escola Secundária Tomás Cabreira
Produção | LAMA Teatro

Escuridão bonita

UMCOLETIVO

5 novembro, 14h30 + 19h | LAMA Black Box

M/6
Duração | 45 min
Bilhete | 6 euros

Queremos contar uma história como as história são para ser contadas, com afetos.

O teatro é um lugar escurinho e mágico, com as luzes surpreendentes da imaginação a interromper a noite, aqui e ali, onde dizemos “era uma vez” e, depois, sonhamos todos juntos a história de um beijo.

A nossa história é muito cheia de cheirinhos e sabores e abraços indolores. É uma história que se faz muitas vezes, a pouco e pouco, com apenas vinte pessoas na sala. Acontece como uma música longa e em segredo, que interrompe o coração, e, por isso, chamamos-lhe, ESCURIDÃO BONITA.

Texto | Ondjaki
Criação | Cátia Terrinca e João P. Nunes
Interpretação | Cátia Terrinca
Imagem | João P. Nunes
Som e música | Alexandre Vaz / João Filipe
Design | João P. Nunes
Produção | UMCOLETIVO

A grande viagem do pequeno Mi

De Madalena Vitorino, Ana Raquel e Beatriz Marques Dias

6 e 7 novembro, 11h | Museu Municipal de Faro

M/6
Duração | 60 min
Bilhete | 6 euros

Laboratório/Performance de dança, música, literatura, ilustração para crianças entre os 6 e os 10 anos

Em cima de uma grande mesa, uma bailarina dança e uma música canta e toca. O público, sentado à volta, observa as duas de perto. Elas dançam, cantam e tocam para que este decifre como são e de onde vêm os seus passos, os seus gestos, a sua figura em movimento. Como se juntam aspectos do que as artistas vêem no momento em que dançam e tocam para um grupo de adultos e crianças, com os micro movimentos, olhares e poses do público enquanto observa?

Mi, neste caso, é uma abreviação de micro movimento. Ou seja, a fonte que sustenta todo o espectáculo. Um espectáculo sobre o poder da imaginação inspirado na obra de Sandro William Junqueira com ilustrações de Rachel Caiano.

Criação | Madalena Victorino
Co-criação e interpretação | Ana Raquel e Beatriz Marques Dias
Assistência | Guilherme Serrado e Matilde Real
Livros | A grande viagem do pequeno Mi de Sandro William Junqueira e Rachel Caiano; Labirinto de Regina Guimarães e João Alves; OH! de Josse Goffin
Fotografias | João Mariano

Parlamento Shakespeare

Bestiário

10 novembro, 14h30 (escolas) + 19h | Teatro das Figuras

M/10
Duração | 60 min.
Bilhete | 6 euros

Silêncio nas bancadas! A audiência está aberta e os arguentes entram na sala. O caso de hoje é de suma importância. O parlamento, em convulsão, discute acesamente a intriga: uma mentira inocente também magoa? Quais são os limites de um coração apaixonado? É urgente criar leis que governem o amor! Qual é a sua opinião, caro deputado?

Direção artística e encenação | Bestiário e Joana Petiz
Texto | A partir de “À Vossa Vontade”, de William Shakespeare
Interpretação | Afonso Viriato, Joana Petiz, Miguel Ponte e Teresa Vaz
Apoio à criação | Helena Caldeira

Cenografia e figurinos | Bestiário
Desenho de luz | Bestiário
Produção | Bestiário e Fábrica das Artes – CCB
Agradecimentos | Catarina Telo, David Erlich, Horto do Campo Grande, Laura Gama Martins, Voz do Operário
Apoios | Casa dos Direitos Sociais e HCG

Romeu e Romeu

LAMA Teatro

14 novembro, 11h30 + 17h | LAMA Black Box

M/6
Duração | 50 min (aprox.)
Bilhete | 6 euros

O que é que matou o amor?

Esta é a primeira pergunta do espectáculo. Uma pergunta que se veste de conferência. Uma conferência que não o é, porque o amor é muito mais que palavras como resposta.

Partindo de uma ideia de amor de Shakespeare na sua obra primordial, ‘Romeu e Julieta’, Romeu e Romeu é um lugar de provocação, de provocações sobre a inevitabilidade.

Parece uma palavra fatal, assim como o destino de Julieta e Romeu, mas, se esta fatalidade não existisse, provavelmente estaríamos a falar de outros dois nomes, porque é inevitável um destino destes para que ele seja recordado.

Ou não?

Espectáculo criado para todos os públicos, com a colaboração de todos os públicos, num processo pós-confinamento, claramente tocado pelo novo conceito de baile de máscaras.

Criação e interpretação | João de Brito e Nuno Preto
Texto | Nuno Preto e João de Brito
Criação de conteúdos vídeo e fotografia de cena | João Catarino
Direção técnica e desenho de luz | Carlos Arroja
Música | Nuno Preto
Construção de cenografia | Tó Quintas
Operação técnica | Fábio Ventura
Aconselhamento artístico | António Durães, Leonor Keil, Pedro Gil e Valter Lobo
Co-produção | LAMA Teatro, Cine-Teatro Louletano, Teatro das Figuras e Teatro de Vila Real
Apoio | Município de Faro, Algarve Informativo e RUA – Rádio Universitária do Algarve
Estrutura financiada por República Portuguesa – Cultura | DGARTES – Direção-Geral das Artes

Como pensar uma programação infantojuvenil?

Conversa

6 novembro, 17h | Biblioteca Municipal de Faro – António Ramos Rosa

Entrada livre

Oradores
Joana Carmo (Técnica de Mediação Cultural do Museu Zero)
Rui Gonçalves (Programador Cultural e Educativo do Teatro das Figuras)
Carolina Galtarossa (Equipa educativa do Museu Municipal de Loulé)
Sandra Martins (Chefe de divisão de Bibliotecas e Arquivo – Biblioteca Municipal de Faro)
Ana Bela Conceição (Professora e Coordenadora Intermunicipal do Plano Nacional das Artes – Algarve)

Moderação
João de Brito (Director Artístico LAMA Teatro)

NOISERV

Concerto

22 outubro, 21h30 | Coreto de Faro

Entrada livre

Mochila – Festival de teatro para crianças e jovens

MOCHILA é um Festival de Teatro para Crianças e Jovens  nasce em 2021 e decorrerá em Faro, ocupando vários equipamentos culturais da cidade. Esta iniciativa pretende oferecer uma programação de Teatro de qualidade através da apresentação de espectáculos de companhias portuguesas de referência. Paralelamente, será feita uma forte aposta na mediação cultural, formações informais e no Laboratório educativo “Estojo”, que irá ser englobado na “Mochila”.

Um dos objectivos primordiais será o estabelecimento de parcerias com instituições e agentes culturais, movimentos cívicos, associações locais, como por exemplo: o Município de Faro, o IPDJ, a Biblioteca Municipal, o Teatro das Figuras, Museu Municipal de Faro, Escola Secundária Tomás Cabreira, Escola Secundária João de Deus, Escola Secundária Pinheiro e Rosa, entre outros.

No âmbito da persecução dos objectivos deste projecto, será levada a cabo uma programação constituída por uma oferta que trará a Faro algumas das melhores produções contemporâneas para a faixa etária compreendida entre os 3 e os 18 anos e desta forma, serão apresentadas companhias nacionais que mostrarão os seus espectáculos em paralelo com os jovens participantes do Mochila 2021, promovendo sinergias entre estes e os artistas.

Com a realização desta iniciativa, pretende-se a criação e promoção de um espaço de pensamento crítico sobre arte através de espectáculos, de realização de formações, de debates e conferências. Para o efeito, será defendido um trabalho de programação para infância e juventude com estreita relação com o público alvo e com a comunidade no geral.

A Mochila é um objecto que usamos em quase todas as fases das nossas vidas.

Com o que pretendemos encher a nossa Mochila, o nosso Festival?

Nesta primeira edição queremos enchê-la com várias propostas assentes no binómio conceptual nítido/turvo. O mundo e a arte que o acompanha vivem momentos de aflição por cada vez mais falta de contágio, de influências, de liberdade, mas acima de tudo de nitidez. Precisamos de encher as nossas mochilas com nitidez de movimentos, de palavras, de discernimento, de paixão e pensamento. Nitidez é a palavra. Nitidez com que se vê o mundo é parte do conceito.

O que é que é nítido? O que é que é claro? Será que é o nítido que nos interessa? O nítido mostra uma coisa na sua perfeição, mas quebra o poder da imaginação, é concreto demais, o nítido é demasiado nítido. O nítido não vive sem o turvo.

Queremos receber espectáculos nitidamente turvos, que o seu lado opaco/embaciado não nos deixa sentar confortavelmente, fazemos questão de querer ver, querer ver mais perto, tocar até. Queremos receber espectáculos com temáticas turvas que obriguem ao questionamento de um público de calções e havaianas. Queremos movimentos turvos que não fujam ao quotidiano e que se preocupem com ele. Queremos palavras turvas que se opunham às palavras banais. Queremos preocupações com o mundo turvo em que vivemos. A visão turva instala-se de uma forma gradual e vai melhorando lentamente com o passar do tempo.

Locais onde assistir

Teatro das Figuras
IPDJ
Museu Municipal de Faro
LAMA Black Box

Pontos de venda

Teatro das Figuras
BOL

Ficha técnica

Direcção Artística | João de Brito
Direcção Executiva e de Produção | Sandro Benrós
Assessoria de Imprensa | ShowBuzz
Design | Nilo Partners
Imagens Promocionais e Vídeo | João Catarino
Produção Executiva | Ana Beatriz Lopes e Sónia Rosa
Apoio à Produção e Acolhimento | Estagiários da Escola Secundária Tomás Cabreira e da Escola Secundária Pinheiro e Rosa

Organização | LAMA Teatro
Estrutura Financiada por | República Portuguesa – Cultura | DGARTES – Direção-Geral das Artes
Apoio | Município de Faro
Parceiros | Museu Municipal de Faro, IPDJ / Centro de Juventude da Direção Regional do Algarve do IPDJ, Biblioteca Municipal de Faro – António Ramos Rosa, Teatro das Figuras

Contact
©2020 LAMA Teatro
Estrutura financiada
Contact